O caminho

EU CONSIGO APRENDER INGLÊS?

O que é que nós precisamos para APRENDER Inglês? Será que está ao nosso alcance?  

Muitas pessoas estudam inglês, porém, poucas realmente aprendem. Hoje em dia, é moda e crença popular que ‘se quer aprender inglês, tem que fazer intercâmbio’. Eu discordo. Conheço muitas pessoas que fizeram o tal intercâmbio e estão longe de serem feras em inglês. Por outro lado, tive o prazer de conhecer brasileiros que nunca saíram do país, mas são fluentes.

Se você é uma daquelas pessoas que está determinada a enfrentar a experiência de aprender inglês, neste site você vai encontrar orientações e garantias que vão ajudá-lo a aprender.

COMO ESCOLHER UMA ESCOLA OU UM PROFESSOR?

Inicialmente, devemos lembrar que as escolas de idiomas no Brasil e no exterior são instituições comerciais. Logo, querem alunos que pagam. O mesmo acontece com os professores, que são profissionais. Não existe nada de errado nisso. Vivemos em um mundo comercial e os profissionais devem ser pagos.

Entretanto, lembre-se sempre que em idiomas, assim como em todas as áreas de ensino, existem dois tipos de professores: professores que ensinam o que aprendem e professores que ensinam o que sabem. Consegue entender isso?

Na área de idiomas, assim, como em qualquer área, o professor deve saber mais do que os alunos, e geralmente é isso o que ocorre. Pela experiência, é fato que o melhor professor é aquele que tem atitude, e que faz de tudo para que os alunos aprendam.

Um professor que aceitar ensinar um aluno, também tem que aceitar a responsabilidade de fazer de tudo para que ele aprenda. Se o aluno não aprende, o professor e/ou a escola tem culpa no resultado, e falharam juntos com os alunos. Isso é valido para todas as áreas de aprendizagem, seja de idiomas ou não.

Portanto, procure um professor com atitude que assuma a responsabilidade de ENSINAR.

ESTOU PRONTO PARA APRENDER E USAR OUTRO IDIOMA?

Quem pode responder isso é você. Nascemos prontos, mas achamos que não podemos fazer muita coisa. Nossa mãe nos encorajou a andar. Nosso pai nos motivou a falar. Nossos professores pedem para acreditarmos na nossa capacidade. Nossos treinadores sabem que podemos vencer. Mas nós, somente nós, podemos alcançar os objetivos que queremos.

COMO VOU SABER SE EU ESTOU PRONTO?

Nunca vamos saber se podemos fazer alguma coisa até, de fato, a fazermos realmente.

Pense bem. Na época de Shakespeare, todos os artistas que trabalhavam nas peças teatrais, eram homens. Como um homem podia fazer o papel de mulher? Da mesma forma, hoje em dia, em filmes, existem adultos que atuam como se fossem crianças. Essas pessoas têm que se preparar muito bem para parecer o que na realidade, não são.

Temos o dom da comunicação, alguns mais expressivos e outros menos. Mas todos nós temos o dom. Quando nos comunicamos em outro idioma, utilizamos este mesmo dom, mas com palavras, sons e estruturas diferentes daquelas que estamos acostumados a usar. O truque para dominar a nossa ansiedade e o nosso receio de errar, para assim não parecer bobos, é adquirir confiança. E como faremos isso? É simples, treinando.

Tenha certeza que os artistas de cinema, os políticos, palestrantes e até os professores, treinam e até ensaiam antes da apresentação. Porque então nós, meros mortais, achamos que podemos falar, escrever, ler, e em geral, usar outro idioma, sem antes nos preparar?

O segredo para atuar bem em público é ensaiar muito, sozinho, antes do evento! Então vamos fazer exatamente isso!!!

Através de um treino, cuidadosamente programado, você vai ser guiado desde os primeiros passos até os saltos gigantescos, para você voar para onde quiser.

OS PASSOS PARA APRENDER INGLÊS

Não existem duas pessoas iguais no mundo. As pessoas de diferentes etnias e países têm características e habilidades distintas. O fato é que muitos Brasileiros, de todas as etnias e classes sociais, já aprenderam inglês e outros idiomas e se destacaram no mundo afora. Não é uma regra, mas sim uma estatística que mostra que a maioria da população não domina o idioma Inglês. Porém, para que o Brasil justifique seu posto de liderança no palco mundial, o seu povo, você, nós, teremos que aprender a utilizar a língua que o mundo fala. Portanto, não existem desculpas para que todos os Brasileiros possam aprender inglês. E com este intuito, é que este site se empenha em abordar todos os aspectos da língua e a aprendizagem analisada sempre pelo ponto de vista Brasileiro.

Aqui, você vai encontra todos os passos para você atingir os níveis que você almeja.

Conheça o site inteiro. Quando entramos num lugar novo, que vamos frequentar, verificamos as instalações, os quartos, onde fica o transporte, banco, etc. Recomendamos que faça um tour em todos os quartos deste site, as vistas das janelas e as características únicas para que possamos andar a vontade e aproveitarmos ao máximo.

O desconhecido sempre assusta. No caso dos idiomas, ocorre o mesmo. As pessoas têm medo de pisar onde nunca andaram antes. Palavras diferentes, modo de pronunciar sílabas da forma não acostumada, emitir sons diferentes, fazem com que pessoas desistam facilmente da nova e voltem para a velha. Não tem nada errado nisso. A questão é: Devemos viver 10% da nossa capacidade na forma velha ou devemos explorar 100% da nossa capacidade de viver e aproveitar a vida por completa?

Todos os vencedores sabem que a maior batalha ocorre dentro de nossas cabeças. Até que nós decidamos o que fazer, enfrentamos os nossos medos e vamos até o fim com as nossas decisões, jamais vamos chegar onde nunca estivemos antes.

Ou você acredita em você mesmo ou não acredita. Se você não acredita em si, como espera que outros acreditem em você? Tome os passos preparatórios antes de enfrentar o desconhecido. Assim, você estará mais preparado para desfrutar as suas conquistas.

A UNIVERSALIDADE DO IDIOMA INGLÊS

O idioma Inglês foi difundido pelo mundo de uma forma desorganizada. Devido a isso, as ramificações, ou posso dizer raízes secundárias, cresceram independentes da matriz, causando variações que divergiram da língua original.

O pior de tudo, é que cada uma destas ramificações acredita estar corretas. As principais ramificações da língua inglesa são: o Inglês Britânico e o Inglês Americano. Mas existem outras que são bem formadas e independentes, como a da Irlanda, Escócia, Austrália, África do Sul, Jamaica, Cingapura, Índia, Nigéria, Hong Kong, etc.

O que atrapalha os estudantes, e muito, é o fato de que não existem regras claras e concretas a respeito da estrutura e do uso do idioma. O que um usuário pode achar errado, pode ser considerado certo por outro. Existem diferentes opiniões, por exemplo; se algumas palavras são verbos ou não, se alguns verbos são regulares ou irregulares, se palavras como ‘color’ devem ter um ‘u’ depois do ‘o’ ou não, etc, etc.

Além de outras coisas, a maioria dos alunos tem pavor das ‘preposições’.

E quando tratamos dos ‘phrasal verbs’, que são uma combinação de verbos e preposições, muitos abrem a boca e dizem: ‘AAHH?’

DOIS IDIOMAS INGLESES?

Os Dois principais tipos de Inglês – Inglês Acadêmico e Inglês Internacional.

Desde O início dos tempos modernos, nem todos tiveram a oportunidade de ir para escola e ter uma educação formal. Dessas situações que foram criados os termos ‘formal’ e ‘informal’. De uma forma geral, pessoas que tinham uma boa educação escolar se orgulhavam disso, e fizeram questão de mostrar sua aparente ‘superioridade’ ou ‘vantagem’ sobre os outros. Isso fez com que os ingleses do passado parecessem aristocráticos com suas vestimentas e seus hábitos, como Sherlock Holmes, chá de tarde, os guardas de Palácio Buckingham, jogo de cricket, etc. Pessoas que tiveram a felicidade de assistir o filme ‘My Fair Lady’, entenderiam como, na Inglaterra do século vinte, existia uma grande diferença entre os ingleses educados e os ingleses comuns.

Nos Estados Unidos, como também no Brasil, devido ao tamanho do país e a necessidade de dominar o território inteiro em poucos séculos, a educação escolar sempre esteve em segundo ou terceiro plano.

Como resultado disso, hoje em dia, temos algumas pessoas que seguiram o estilo ‘formal’, que podem ser chamados ‘Acadêmicos’ e existem outras pessoas que seguiram a linhagem ‘informal’, o estilo que pode ser chamado ‘Internacional’. Expressões populares influenciaram ambos os estilos. Os mais estilosos chamaram esta influência de “expressões idiomáticas”, enquanto que a maioria chamou ela de “jargão ou gíria”.

Devido ao tamanho crescente da classe média no mundo de hoje, e a universalização e influência da TV e da Internet, a porcentagem do uso do Inglês Internacional, gira em torno de 80% de todo o uso do Inglês no mundo, embora mais de 80% das pessoas que usam o idioma, iniciaram a aprendizagem do idioma de forma acadêmica. Considerando a ênfase dado nos dias de hoje, pela educação em geral no mundo inteiro, e a importância dada para o idioma inglês nos países cujo idioma não é o Inglês, os resultados não são animadores. A porcentagem das pessoas que aprendem inglês, embora crescente, é extremamente baixa. Porque será que as pessoas têm tanta dificuldade em aprender inglês?

Qual a diferença entre esses dois estilos? Na verdade, não existem diferenças, pois ambos vêm da mesma origem. Podemos imaginar que são semelhantes a raiz e o tronco de mesma árvore. Ambos são importantes, mas os dois acham que são primordiais para a existência da árvore. O Inglês Internacional é livre e solto e não respeita as regras do jogo, determinado pelo Inglês Acadêmico, mas é tão forte e popular que manda na maioria dos casos, como; filmes, internet, rádio, turismo, chat, conversa fiada, etc, e etc. Mas quando se trata de diplomacia, legalidade, áreas comerciais, econômicas e científicas, tudo tem que ser em Inglês Acadêmico.

ESTABELECENDO METAS

Para aprender um idioma, estabeleça metas e prazos.

Antes de começar a aprender, como em qualquer caminhada, devemos estabelecer o destino e a direção de todas as etapas.

O verdadeiro escopo dos idiomas. (Realidade) Use o nosso telescópio para ver o seu futuro.

Vamos entender melhor. Todos os idiomas têm vastas aplicações e consequentemente, muitos detalhes. Quantas pessoas podem dizer que sabem tudo sobre um único idioma? A possibilidade de existir pelo menos uma pessoa no mundo inteiro, que possa justificar esta condição, é remota.

Então, quanto as pessoas realmente sabem de seus próprios idiomas? 50%? 80%? 20%? Podemos dizer que é tudo isso ou apenas isso? Dependendo da intensidade de estudo do indivíduo, e da área de atuação, será alto ou baixo.

Se este for o caso, então quanto é que uma pessoa pode aprender de um idioma estrangeiro? Há pessoas que sabem apenas 1%, mas são consideradas fluentes no idioma. Poucas pessoas atingem um nível acima de 40% ou 50%, e isso, apenas se essas pessoas passarem um bom tempo no país onde se fala o idioma.

Você está chocado? Na verdade, se analisarmos friamente, 1% de qualquer idioma é muito, e pessoas que atingem este nível, podem ser consideradas especialistas no idioma, considerando o fato de que, o número de palavras no idioma inglês, por exemplo, gira em torno de 70.000 palavras, além também, de seu conhecimento das aplicações gramaticais e a sua pronúncia.

Certamente, você já ouviu muitas vezes o seguinte diálogo:

– How are you?

– I’m fine, Thank you. And you?

E todas as atenções se viraram para a direção das pessoas envolvidas no diálogo, com grande respeito e admiração. Muitas vezes, este é o limite do conhecimento de uma ou das duas pessoas. A participação das pessoas em um diálogo como esse, não significa que elas conhecem o idioma, e não deve ser considerado como algo de valor……..

As pessoas, muitas vezes, gostam de se esconder atrás de uma máscara de ‘faz de conta’ e, se tiver êxito, elas acreditam ter um falso senso de confiança, e pensam que já conquistaram o mundo, deixando de aprofundar o seu conhecimento.

O QUE EU PRECISO PARA APRENDER UM IDIOMA?

O mais importante para aprender um idioma é a disposição e a dedicação.

Disposição – Como tudo que a gente faz na vida, você deve acreditar que você é capaz, com todo o seu ser, de corpo e alma.

Dedicação – Envolvimento. Como tudo na vida, se nós nos dedicarmos, tendo contato diário, nós conseguiremos fazer tudo o que queremos. É simples assim.

Lembre sempre que: além de usar diferentes palavras para as coisas, as estruturas e regras não são sempre iguais em diferentes idiomas.

Este estudo é para todas as pessoas, estudantes e não estudantes, que tem interesse em aprender e usar o Inglês, independente de idade. Contudo, preparei os livros em três níveis. O nível básico é em Português. O nível intermediário é em Português e Inglês. E o nível Avançado é em Inglês.

Já percebeu quando um estrangeiro fala português? Ele tem um acento e pronuncia diferente dos Brasileiros. Dependendo da origem dos estrangeiros, o seu sotaque varia. Assim podemos identificar a origem das pessoas pelo sotaque.

Muitos e muitos Brasileiros estudam e gostariam de usar o idioma Inglês, mas não se sentem a vontade de falar as palavras por não saber pronunciar da forma entendível em Inglês.

Após estudar durante mais de 28 anos, as varias dificuldades dos Brasileiros em usar o idioma Inglês, preparei este trabalho com explicações, exemplos e exercícios.

Acredito que este trabalho possa ajudar qualquer pessoa que quer falar o idioma Inglês corretamente, pois terá orientação do uso de TODAS as palavras do idioma Inglês, usadas em todos os lugares do mundo.

ENTENDENDO MELHOR A TAREFA QUE VAMOS ENFRENTAR

Aprender um idioma bem é uma guerra! Tenha certeza disso. Mas se queremos vencer, como todo na vida, devemos nos preparar. Este estudo é uma das formas de nós prepararmos. Muitas pessoas desistam desta luta, por uma razão ou outra. Mas, outras centenas e milhares de pessoas estão entrando e vencendo, no mundo todo.

Quantos Brasileiros vencem esta guerra vai determinar quanto o país vai se destacar nos próximos anos, pois é fato que o Inglês é a primeiro idioma global de todos os tempos, e o país que se mostrar mais global em todos os aspetos, vai triunfar mais.

É obvio que Inglês é diferente de Português. A principal diferencia é as palavras, representadas nos sons que emitimos, quando falamos um idioma. As palavras são o vocabulário. Outra diferencia é as regras de uso das palavras. Isso nós chamamos: Gramática.

Apesar de que o nosso instinto sugere, que quase nunca se pode fazer a tradução ou a construção de um idioma para o outro, ‘ao pé da letra’.

A mágica é ‘pensar’ no idioma que vocês estão usando. Por exemplo, estamos escrevendo em português. Estamos, neste momento, pensando por inteiro em português. Como? Porque moramos no Brasil e usamos o português no dia-a-dia.

E você? Como vai aprender a pensar em inglês? Primeiro, embora você possa pensar em português para estabelecer a ideia de que você quer transmitir em inglês, não se deve pensar em português quando está, de fato, construindo a frase em inglês na sua cabeça. E segundo, acostumando-se às estruturas e as palavras em inglês, e que inclua a pronúncia – os sons.

COMO PENSAR EM INGLÊS?

O correto é pensar no idioma que você está usando. Isso é óbvio, concorda? É, mas como fazer isso? Ninguém pode, de repente, começar a pensar no idioma que ele nem conhece.

Considero o português e o espanhol, tendo a mesma origem, como futebol e handebol. Inglês, por outro lado, é como o voleibol.

Os três jogos utilizam uma bola, dois times, e rede. Mas, no futebol e no handebol, têm gols e o objetivo é colocar a bola dentro do gol. No voleibol, por outro lado, não tem gols e o objetivo é outro. Não se pode jogar futebol com as regras do voleibol.

É FÁCIL APRENDER UM IDIOMA, NO CASO, O INGLÊS?

A complexidade e a simplicidade do idioma inglês fazem com que ele seja fácil de usar, porém, difícil de aprender.

Aprender inglês é fácil, mas, ……

Podemos dizer que: aprender 1% de inglês não é difícil.

Aprender mais de 1%, também não é difícil, mas requer dedicação.

Pessoas que iniciam o estudo da língua inglesa devem saber que, de forma geral, o inglês foi falado antes de ser escrito. Por isso, o idioma segue as regras fonéticas antes das estruturas escritas.